• Valéria Barros

Os 10 Melhores países para investir em uma Carreira na Europa em 2018



Trabalhar na Europa é um sonho vivido atualmente por muitos brasileiros. O mercado globalizado oferece fácil acesso à mão de obra estrangeira, o que vem facilitando aos profissionais ingressarem e investirem neste sonho.

Antes de um bom salário, os profissionais buscam no continente europeu a oportunidade de ter uma maior qualidade de vida e oferecer segurança para toda a família.

Se você é um profissional qualificado e sente que está na hora de assumir o volante da sua Carreira Internacional, este artigo de hoje vai lhe mostrar por onde começar e como se planejar para iniciar a sua busca de oportunidades e trabalho na Europa.

• Confira aqui os melhores países para trabalhar na Europa:

1 -> Alemanha: possui um mercado aquecido para profissionais técnicos e gestores especializados, tendo como grande procura profissionais do ramo de TI, engenharia e recursos humanos. Noções de Alemão é fundamental, mas também é possível arrumar emprego no país falando francês e inglês. Com a economia crescente, é um dos países da União com mais chances de conseguir um bom emprego.

2 -> Holanda: é um país com uma economia muito aquecida e com propostas de um crescimento ainda maior nos próximos anos. Os profissionais que se identificam com a Holanda normalmente gostam de desafios, trabalhar na Holanda exige um perfil aventureiro, pessoas que gostem de público, de se comunicar, de viagens, por isso trabalhar em empresas de tecnologia ou indústria de qualquer segmento são empregos mais fáceis de conseguir.

3 -> Bélgica: se você tem experiência e um nível de escolaridade estabilizado pode ir sem medo para a Bélgica. Empresas do país investem na contratação para diversos setores da economia, mas precisa de fluência em idiomas como: língua neerlandesa, inglês, francês ou alemão.

4 -> Portugal: os brasileiros estão sendo requisitados para especialistas em TI, agricultores e para a área da saúde. Apesar de ser o país com a maior taxa de desemprego da União, existem diversas vagas que não exigem especialização na área, como por exemplo vagas para Suporte ao Cliente "multilíngue'.

5 -> Espanha: vagas para tecnologia, profissionais de TI e administração e RH estão em alta. Existem diversas oportunidades temporárias para cargos que não exigem especialização e para profissionais multilíngues. Na Espanha falar espanhol é um quesito necessário na hora de buscar vagas no país.

6 -> França: tendo o turismo como principal setor em crescimento, as vagas são destinadas para o ramo de hotelaria, gastronomia e vendas. Também é o país que mais empregou estrangeiros na indústria química e metalúrgica.

7 -> Itália: diversas vagas para profissionais da economia (bancários, financeiro, administrativo, vendas), também estão em crescimento o mercado de operários para grandes indústrias e profissionais especializados para a área da saúde. Assim como na Espanha, para trabalhar na Itália é exigido conhecimentos da língua do país.

8 -> Suíça: trabalhar na Suíça está além das lindas paisagens e os alpes. A Suíça tem uma das taxas de desemprego mais baixas da Europa, oferece ótimas condições de trabalho e o salário médio é três vezes superior ao salário médio português, sendo também um dos salários mais elevados a nível europeu. Porém o custo de vida no país é um dos mais altos da Europa e a maioria das empresas buscam profissionais que tenham fluência em francês ou alemão. A área mais aquecida é financeira e projetos de energia sustentável.

9 -> Noruega: um dos países mais justos em termos de distribuição de salários, com um dos índices de pobreza mais baixos do mundo. Oferece bons empregos e ótima qualidade de vida. Proporciona salários altos, mas também um alto custo de vida.

10 -> Finlândia: caso todos os postos que se tornarão vagos na próxima década nos serviços de saúde tivessem que ser preenchidos apenas por finlandeses, um em cada quatro jovens da Finlândia teria que se dedicar à enfermagem. Uma vez que esta hipótese é obviamente inviável, haverá uma clara necessidade de recrutar gente no exterior nos próximos anos, especialmente nos setores de serviços e saúde.

O primeiro passo agora é pesquisar quais países europeus têm demanda de mão de obra na sua área, assim você já pode verificar se atende aos requisitos para trabalhar e atuar na sua profissão no país.

Após esta pesquisa, é hora de partir para a "busca e aplicação de vagas", é claro antes ter um bom currículo e carta de apresentação, para não morrer na praia já na primeira etapa do processo seletivo, e perder de primeira esta chance!

Se você tem interesse em saber mais sobre: Planejamento de Carreira Internacional, Recolocação Profissional, mercado de trabalho no exterior, estamos aqui para lhe orientar e guiar, ajudando você a ingressar nesta sua nova jornada de morar e trabalhar no exterior.

Confira aqui outros artigos para lhe ajudar a conseguir seu emprego na Europa:

• Principais qualificações para concorrer à uma vaga com Sponsorship - visto com permissão de trabalho

• Por que é essencial ter uma Carta, um CV e um Perfil no LinkedIn para buscar vagas na Europa?

Ficou com alguma dúvida?

Envie sua dúvida para o nosso e-mail que nós respondemos para você.

Quer saber mais sobre o nosso trabalho e nossa Consultoria de Carreira na Europa?

Clique aqui e entre em contato.

Gostou deste artigo? Fique à vontade para compartilhar com os amigos.

Aproveite e curta a nossa Fanpage no facebook e siga a gente no Linkedin.

Boa sorte!

Obrigada e abraços,

Valéria Barros

Consultora de Carreira Internacional

RH Clock-in

contact@rhclockin.com

LinkedIn | Facebook | Company Page LinkedIn | Grupo - Carreira na Europa | Instagram

#Currículo #Internacional #Planejamento #Europa #Carreira

2,140 visualizações
RH Clock-in | Salzburg - Austria
  • LinkedIn

RH Clock-in | Headhunter & Job hunter | Europe