Processo de Expatriação, como funciona?



O processo de globalização, aquisições, fusões e alianças estratégicas entre empresas está crescendo cada vez mais e com isso provocando o aumento da diversidade de profissionais trabalhando em outros países a pedido da empresa, sendo uma ótima oportunidade de viver e conhecer outras culturas dentro do mercado de trabalho.

Com a globalização de negócios, as possibilidades crescentes de atuação em outros países estão em alta. Muitos profissionais recebem propostas para atuarem em cargos de gestão e liderança a nível internacional, com as despesas e custos pagos pela empresa, incluindo ótimos benefícios e pagamentos por esta transição.

Estes profissionais são denominados EXPATRIADOS.

Os expatriados são diferentes de imigrantes, pois estão viajam em missão a pedido da empresa em que ele trabalha atualmente, para cumprir tarefas em outros países, levando conhecimento e trazendo experiência profissional diversificada.

Já os imigrantes, pelo contrário, geralmente planejam construir uma nova carreira e vida em um novo país e assim adquirir a cidadania permanente.

Diferenças:

Expatriados recebem benefícios da empresa, enquanto os imigrantes utilizam reserva financeira própria.

1. O profissional expatriado

O termo expatriação não é novo, está presente na sociedade há milhares de anos. A mobilidade já era praticada por nossos antecessores. Os romanos tinham encarregados para viajar pelos quatro cantos do império e verificar se as províncias trabalhavam de acordo com a lei e se honravam com o pagamento de impostos.

A expatriação é o processo de transferência de um profissional de um país para outro, para exercer uma determinada função ou cargo específico, por um período previamente acordado, normalmente entre um período de 6 meses até 5 anos, dependendo do contrato de trabalho acordado entre as partes.

2. O perfil de um Expatriado

O profissional qualificado, experiente, multilíngue e que se mostra disponível para mudanças é o candidato ideal para uma expatriação no mercado internacional, uma vez que na maioria das vezes a maior dificuldade na expatriação de profissionais é a fluência em idiomas.

Para se obter o perfil ideal e conseguir uma expatriação dentro da empresa, um fator importante considerado pelos gestores é a experiência e anos de casa, possuindo o conhecimento necessário para exercer de uma forma independente um cargo a nível internacional.

O idioma nem preciso falar, se você não for fluente pelo menos no inglês, suas chances podem cair para zero, dependendo de vários fatores como idioma nativo do país que vai trabalhar e do time que vai colaborar.

3. Como ser um expatriado?

O primeiro passo é saber se a sua empresa é multinacional e possui unidades em outros países, assim você deve pesquisar, de acordo com os idiomas que você domina, as vagas disponíveis ou projetos em que você se enquadraria e poderia desenvolver em outro país.

Na maioria das vezes, o seu gestor é o mais indicado para obter informações sobre uma expatriação, uma vez que ele quem deve administrar a sua ida e experiência em outro país.

4. Aplicação para Vagas internacionais x Expatriação

A aplicação para uma vaga internacional na sua empresa é diferente de uma expatriação.

Uma aplicação para vagas internacionais na sua empresa engloba todo o processo seletivo, assim como as despesas da viagem e mudança, que geralmente são pagos pelo candidato, enquanto em uma expatriação a empresa que toma todas as providências, desde visto, viagem até moradia.

5. Suporte para o profissional expatriado

A empresa que decide expatriar um colaborador, deve arcar com todas as providencias desta transição, como o visto de trabalho, moradia, educação dos filhos e a transição da família, orientação cultural e profissional antes da expatriação, oferecendo a preparação e apoio aos familiares também.

A proposta salarial dependerá diretamente do cargo, segmento e experiência do profissional que será expatriado, onde será acordado entre as partes. A maioria das empresas multinacionais já possuem uma Política de Expatriação.

Para um expatriado o salário poderá triplicar com sua mudança para outro país, porém, atentar-se ao custo de vida do local é uma boa dica para evitar ilusões e desapontamentos.

Em algumas empresas é possível que o profissional faça antecipadamente uma viagem ao país para o qual será transferido para conhecer um pouco a cidade, a cultura e a empresa onde vai trabalhar, sendo mais assertivo ao tomar uma decisão muito importante, não só para ele como para toda a família.

Você pensa em ser um expatriado? Então mãos à obra!

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos.

Facebook | LinkedIn

-------------------------------------------------------------------------------------------

Tem dúvidas? Agende um horário comigo!

Quer receber dicas e notícias sobre "Carreira Internacional" direto no seu e-mail?

• Inscreva-se na minha NEWSLETTER

Precisando de orientação?

Confira meus Ebooks que vão lhe ajudar e orientar sobre como iniciar sua Carreira na Europa:

• Cover Letter com Foco no Mercado Europeu

• Guia com 29 Perguntas e Repostas - Como utilizar seu LinkedIn e buscar vagas na Europa

• Guia com 50 Perguntas e Respostas - Como seguir Carreira na Europa

Boa sorte!

Obrigada e um forte abraço.

Valéria Barros

RH Clock-in | Job Hunter & Headhunter

contact@rhclockin.com

#Planejamento #Europa #emprego #dicas #Carreira

RH Clock-in | Salzburg - Austria
  • LinkedIn

RH Clock-in | Headhunter & Job hunter | Europe